#ProtejaSeusOssos

20 de outubro | Dia Mundial de Conscientização da Osteoporose

A osteoporose é uma condição metabólica que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e aumento do risco de fraturas – e pode ser prevenida. Bons hábitos que garantem a recomposição da estrutura óssea, como exercício físico, ingestão de alimentos adequados e vitamina D, deveriam fazer parte do cotidiano de todas as pessoas – mas, infelizmente, não é a realidade. Isso porque, muitas vezes, nós não zelamos pela integridade física da estrutura que nos sustenta, e podemos nos arrepender tarde demais. 

Você tem medo de quebrar seu celular? E os seus ossos? 

O que é Osteoporose

A osteoporose é uma condição em que os ossos se tornam finos e perdem sua força. Isso pode levar a fraturas, que causam dor e tornam as atividades diárias extremamente difíceis. Depois de uma fratura de quadril, cerca de um quarto das pessoas morrem ou nunca voltam a andar.


Em todo o mundo, uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens com mais de cinquenta anos experimentam uma fratura osteoporótica. Muitas pessoas não sabem que têm osteoporose até a primeira fratura, e por isso é chamada de “doença silenciosa”. Mesmo depois de um intervalo, muitas vezes não é tratada.

A boa notícia é que a osteoporose pode ser diagnosticada e tratada e as fraturas, muitas vezes, evitadas por meio de escolhas de estilo de vida saudável e medicação adequada para aqueles em necessidade.

Causas e grupos de risco

À medida que envelhecemos, algumas das nossas células ósseas começam a dissolver a matriz óssea (reabsorção), enquanto as novas células ósseas depositam osteóide (formação). Este processo é conhecido como remodelação. Para pessoas com osteoporose, a perda óssea supera o crescimento de novos ossos. Os ossos se tornam porosos, frágeis e propensos a fraturas.


Para o desenvolvimento da Osteoporose, existem os fatores de risco fixos e os modificáveis. Embora os fatores de risco fixos não possam ser alterados, ter conhecimento ajuda a optar por medidas que reduzem a perda mineral óssea.

Os fatores de risco fixos também incluem o que é chamado de “fatores secundários de risco” – distúrbios e medicamentos que enfraquecem o osso e afetam o equilíbrio, e abrangem idade, gênero feminino, histórico familiar, fratura anterior, etnia branca, menopausa / histerectomia, tratamento com glucocorticóides a longo prazo, Artrite reumatoide, Hipogonadismo primário / secundário em homens.


A maioria dos fatores de risco modificáveis ​​afeta diretamente a biologia óssea e resulta em uma diminuição na densidade mineral óssea (DMO), mas alguns deles também aumentam o risco de fratura independentemente de seu efeito no próprio osso. Estes incluem: álcool, tabagismo, baixo índice de massa corporal, nutrição pobre, deficiência de vitamina D, distúrbios alimentares, sedentarismo, baixa ingestão de cálcio na dieta e quedas frequentes.

Prevenção

Fatores genéticos desempenham um papel significativo na determinação se um indivíduo está em risco elevado de osteoporose. No entanto, fatores de estilo de vida, como dieta e atividade física, também influenciam o desenvolvimento ósseo na juventude e a taxa de perda óssea mais tarde na vida.

Após os 20 anos, o desgaste ósseo é um processo natural e não pode ser completamente interrompido. Quanto mais grossos forem os ossos, menor a probabilidade de eles se tornarem finos o suficiente para quebrar. As mulheres jovens, em particular, precisam estar cientes do seu risco de osteoporose e tomar medidas para retardar seu progresso e prevenir fraturas.

APOIE ESSA CAUSA

Divulgar e conscientizar sobre a osteoporose é essencial para que as pessoas tenham acesso a informação, maneiras de prevenção, diagnósticos assertivos e mais qualidade de vida. Por isso, compartilhe essa iniciativa nas redes sociais usando a hashtag #ProtejaSeusOssos e vem com a gente apoiar essa causa!

Quer saber mais?

Acompanhe a CDD nas redes sociais!

CDD - Crônicos do Dia a DIa 2020 - Todos os direitos reservados.